segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

,

Hoje, vejo que renasci das cinzas...

COMPARTILHE


Eu graças a Deus tive o privilégio de nascer em berço cristão (se você ler um pouco sobre mim aqui verá alguns detalhes). Mas isso não me tornou em seguidor de Jesus. Meus pais cumpriram o papel de mostrar o Caminho e orientar. Mas a decisão de entrega total e irrestrita foi minha! Dependeu de mim! Depende de cada um - individualmente!


Tenho 22 anos e durante muito tempo eu me perdi. Hoje enxergo assim olhando minha curta trajetória.

Durante a infância e adolescência assistia as reuniões da igreja porque meus pais me levavam, insistiam, enfim... Vivia “comportadamente”. Mas a minha alma... Distante de Deus.
E desde uns 17 anos pra cá, apesar de ter ido à igreja com minhas próprias pernas essa questão perdurou. Na casa do Senhor. Mas distante d'Ele.
Nunca me droguei ou me prostitui. Mesmo com vários convites, algo dentro de mim me fazia ter o pé atrás, como por exemplo, nas ocasiões em que meus colegas de colégio me convidavam e me incitavam à perdição. Para se ter uma ideia: até revista pornográfica já foi colocada em minha frente.
Também nunca fui de aventuras amorosas ou algo do tipo pois, neste sentido, eu sempre tive um alvo do que eu queria - e no tempo certo.

Mesmo após batizado nas águas (em 2012), eu nunca quis me voltar às atividades na igreja.
Para mim bastava ir aos cultos, ser dizimista fiel, ofertante. Ouvir tudo atentamente e lutar para por em prática.
Evangelização? O fim do mundo pra mim!
Sair de casa pra falar de Jesus? Não! Coisa estranha... É melhor ficar em casa assistindo ou fazendo qualquer outra coisa do que ficar entrando em tantas ruas estranhas debaixo de um sol quente, correndo riscos e falar com gente que nunca vi na vida.
Participar do grupo Jovem? Tinha minhas armas (sair do culto antes do pastor dizer amém) para que ninguém conseguisse me convidar.
Estando em casa, se alguém viesse me chamar à casa de Deus para trabalhar em algum projeto ou grupo (o que de certa forma ajuda no exercício da fé), essa pessoa podia perder a voz porque não atendia. E se as avistasse a caminho de minha casa dava um jeito de sumir do mapa mundi.

O tempo foi passando e fui percebendo que estava ficando seco. Estava perdendo o fôlego na vida espiritual. Mas nunca disse isso a ninguém... Foi um processo doloroso e muito complexo (e que por questões de brevidade não vou detalhar neste momento).

Foi uma guerra. Mas em 2014, lembro-me da inauguração do Templo de Salomão. Eu assisti em casa ao vivo com minha mãe. E fiquei impressionado com tudo aquilo. Meus olhos não piscavam.
Foi o próprio Espírito Santo me dizendo: isso é o que posso fazer em você, posso construir, avivar. É só você deixar.
No mesmo mês de inaugurações eu acabei lendo, uma mensagem no blog de uma obreira da igreja que fez as escamas dos meus olhos caírem. Esta mensagem fez a dúvida que eu até então tinha, cair por terra de uma vez por todas. Fui até consultar na bíblia as referencias do que ela tinha escrito em seu blog pois nunca tinha lido aquilo. Foi impressionante! Era tudo a mais absoluta verdade.

Foi aí que resolvi deixar o Espírito Santo me guiar. Entre o fim de agosto e início de setembro de 2014 eu resolvi recomeçar uma nova fase na vida espiritual. E para isso escolhi a IURD do bairro onde meus pais se desenvolveram na fé e onde, no período de criança, era levado por eles juntamente com meus dois irmãos mais novos. Na época em que os bancos ainda eram de madeira.

Num curto espaço de tempo eu busquei muito mais a presença de Deus, fui batizado com o Espírito Santo, procurei o pastor me candidatando a obreiro (toma, Vinicius, na cara!). Depois disso passei a evangelizar (toma, Vinicius, mais uma vez na cara!). E depois disso uma obreira (líder do Grupo Jovem) achou de me convidar para integrar o tal grupo. Aí foi demais pra mim, pois eu sempre corri de tal situação. Neguei e disse que meu estilo mais conservador não batia com o estilo despojado do “Grupo Jovem”. Ela me indagou e eu listei dois motivos. Primeiro: “Sou muito reservado”. Segundo: “Meu estilo não bate com o estilo do grupo, não vai dar certo isso”. Uma resposta dela veio logo em seguida: “Independente do seu estilo, vários jovens precisam ser alcançados. E muitos estão indo para o inferno. Olhe, você vai dormir pensando no grupo Jovem, e até ter pesadelos pensando no grupo Jovem a tal ponto que depois vai nos procurar. Depois agente conversa”. Não cheguei a ter pesadelos (apesar de todos os dias, desde então, deitar pensando no que ela tinha dito). Aquelas palavras me perseguiram de uma forma tão intensa que acabei cedendo poucas semanas depois.



E todas essas coisas foram ocorrendo sem que eu ao menos percebesse o Caminho pelo qual estava trilhando.

Resumindo: eu não sabia o que estava desperdiçando. Deus estava apenas querendo me usar.

Me deu vontade de escrever isso, pois muito recentemente durante o culto na igreja (22/02) se entoou uma canção cuja letra diz: “Ah se antes eu soubesse como é doce Te seguir / Não perderia o tempo eu perdi / Agora que te encontrei / Nunca mais te deixarei / És a melhor escolha que eu já fiz”. E essa música me faz refletir sobre o período em que eu rejeitei a voz de Deus. Resolvi seguir a minha voz, a minha vontade. Me faz lembrar do tempo  em que eu (mesmo dentro da igreja) recusava o privilégio de ser usado pelo Espírito Santo.

Ouça esta canção (que originalmente é interpretada pelo Sérgio Lopes) cantada na primeira vigília do Templo de Salomão. Analise a letra. Logo após continue lendo o texto:



Hoje tenho tanta certeza e convicção de minha salvação que chego a pedir ao Senhor que me leve logo... Mesmo diante de minha idade, de projetos em andamento e de tantas coisas a conquistar. E estou lutando dia após dia para permanecer nesta fé e neste Espírito pois estou salvo se (e apenas "SE") permanecer em Sua gloriosa presença.


Se você, amigo leitor, está passando por alguma fase em que as dúvidas penetram sua mente a ponto de engessar a sua fé. Saiba que você está perdendo um tempo precioso. Não espere o tempo passar pois eu tive uma chance e obedeci a essa Voz, dando lugar a ação de Deus em minha vida. E você? O que esta esperando? Quantas chances você já desperdiçou? Será que haverão próximas oportunidades? Saia deste marasmo e parta para a ação. Coloque a sua fé em prática e ouça (obedeça) a voz de Deus. Agarre a presente oportunidade, pois o tempo está passando cada vez mais rápido. Busque um encontro real e verdadeiro com Deus. Se batize nas águas caso não o seja e busque o batismo com o Espírito Santo – pois é o que confirma a sua comunhão. A partir daí o Senhor vai usar sua vida, suas forças, suas palavras, suas ideias e tudo de você para que outras almas sejam alcançadas.

Amigo leitor, Deus quer te usar para Glória do nome d'Ele. A prova disso é a leitura deste texto por você! Ele sabe que se unirmos nossas forças neste mundo nos alistando no Exército do Reino de Deus, quem sai perdendo é o exército do inferno.

Esteja disposto!!! Venha!!! Não perca tempo!!!

Para o Geração Jovem,
Vinicius Brito.

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?