quarta-feira, 1 de junho de 2016

,

A Bíblia e a Sexualidade.

COMPARTILHE
A bíblia nos ensina a fugir da imoralidade: “Fuja das paixões da mocidade e procure viver uma vida correta, com fé, amor e paz, junto com os que com o coração puro pedem a ajuda do Senhor” (2Tm: 2.22); e nos ensina a ter domínio próprio: “Quem não sabe se controlar é tão sem defesa como uma cidade sem muralhas”.

De acordo com os princípios bíblicos, não deve haver relacionamento sexual entes do casamento. A prática do sexo entre pessoas solteiras, a Bíblia chama de “fornicação”. (Ef. 5.5; Hb.12.16; At.15. 20b).
A fornicação trará sentimentos de culpa e decepções emocionais, que poderão tornar uma tortura constante. Estudos revelam um fato alarmante que as adolescentes sexualmente ativas são 300% mais propensas a cometerem suicídios do que as adolescentes virgens. Os garotos são duas vezes mais propensos a cometerem suicídios do que as garotas. Na verdade, os meninos sexualmente ativos na adolescência são 700% mais propensos ao suicídio do que os que esperam. Mas de 25% das meninas sexualmente ativas entre 14 e 17 anos disseram que se sentiram deprimidas boa parte do tempo ou o tempo todo na semana anterior, comparadas as 7,7% das virgens. Mais de 14% das garotas sexualmente ativas tentaram suicídios no ano anterior, comparadas a 5,1% das que não são ativas.
Sem falar nos danos terríveis que o sexo pré-conjugal provoca na saúde mental. Adolescentes sexualmente ativos são três vezes mais propensos a se tornarem depressivos e tentarem suicídios, correndo o risco de contrair DSTs e uma gravidez indesejável.

Extraído do livro Verdade Nua e Crua de Josh McDowell. Jonatas José de Lira.

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?