sexta-feira, 20 de março de 2015

O Homem e o Jardineiro.

COMPARTILHE
Era uma vez, um homem desesperado.
Os problemas de sua vida aumentarão tanto de tamanho, que ele já nem sabia qual deles era o pior, muito menos como foi que ele conseguiu chegar naquela situação.
E caminhando pelas ruas da cidade, ele estava praticamente sem destino. Até a ideia de voltar pra casa era perturbadora para ele.
Pensava em 1 zilhão de coisas e não pensava em nada. Estava desesperado. ma praça. Mesmo sem bons motivos para achar isso, concluiu que lá seria um bom lugar para parar, sentar e refletir um pouco.
Um jardineiro estava cuidando do jardim enquanto cantarolava uma canção. A tranquilidade e a paz daquele homem, intrigou o Preocupado e ele pensou…” Como é que ele consegue…!”
Antes que percebesse, as palavras sairão de sua boca cumprimentou o jardineiro e perguntou algo sobre as flores do jardim… O simpático jardineiro sorriu e respondeu a sua pergunta.
Ele falava das flores com uma intimidade, e foi explicando ao homem de uma forma que ele nem sabia por que estava tão interessante aquele assunto. E o mais intrigante: parecia que tudo que Ele falava sobre a ‘vida’ e o ‘processo’ de crescimento das flores, parecia com as situações de sua vida, desde as alegrias até os percalços que até as flores passam para tornarem-se tão lindas.
A voz do jardineiro fazia bem aquele homem. E ele perguntava mais, e mais… e conversava mais e mais… E já não falavam mais apenas sobre rosas e flores, mas sobre a vida, sobre histórias… e parecia que aqueles dois eram amigos de longa data.
Depois de algumas horas de conversa, aquele homem se sentia incrivelmente aliviado. “Que coisa impressionante! Que paz tem aquele jardineiro! Acho que vou voltar mais vezes lá pra falar com ele!! Parece até que ele me ajudou a esclarecer muita coisa e já consigo vê a solução de algumas coisas, e de outras sinto paz pra aguardar.”
Os dias passaram e aquele homem conseguiu resolver os mais difíceis dos seus problemas. Tudo estava se encaixando, e aqueles gigantes, mais pareciam pequenos e indefesos animais que fogem e se tremem diante dos homens.
E então ele passou novamente na praça do jardineiro. De longe, o Jardineiro o viu e acenou. Mas ele não respondeu ao aceno. Fez que não viu e se foi.
Coincidentemente, no outro dia o Jardineiro cruzou seu caminho para o trabalho, e mais uma vez acenou para ele de modo sorridente, como quem revê um velho amigo de infância e homem olhou e mais uma vez desviou o olhar e não correspondeu ao gesto do simpático Jardineiro.
E assim foi por alguns dias… A cena se repetiu praticamente todos os dias, e o Jardineiro não mais forçava receber um simples gesto, mas passava por ele e o olhava com apenas um terno sorriso, tendo sempre o silêncio como resposta.
Talvez até agora você não tenha entendido esta história.
Mas foi assim que eu enxerguei como vive uma pessoa que conhece o Jardineiro em hora dificeis, através da oração e súplica  e Ele nos dá alento, nos esclarece, nos ajuda e nos responde ou nos ensina a esperar.
E assim como o Homem, nossa vida segue e tudo se resolve, ficamos no ‘bem bom’ e simplesmente, não voltamos mais ao Jardim da Oração, para conversar com o Doce Jardineiro.
Sabia que o Jardineiro sente sua falta? Ele não quer que você o procure apenas para contar seus problemas ou para aliviar a bagagem – ELE ESTARÁ LÁ SEMPRE QUANDO VOCÊ PRECISAR DISSO – , mas passe no Jardim e apenas, CONVERSE COM ELE.
Eu digo isso literalmente! Quando não tiver nada para dizer, conte a Ele como foi o seu dia, e agradeça pelas grandes e pequenas conquistas que você tem alcançado. Diga a Ele o quanto Ele é importante pra você.
Não esqueça agradeça pelas orações que ele atendeu e também pelas que Ele o fez. Diga a Ele o quanto Ele é maravilhoso e o quanto você se sente bem ao conversar com Ele.
Não ignore-o. NUNCA despreze o Jardineiro.
Durante seu dia, na hora que você quiser, chame Ele pra conversar, ou apenas para lhe contar ou pedir algo. No fim do seu dia, corra para o abraço do Jardineiro para e diga suas alegrias, tristezas, necessidades e conquistas, e Ele  escutará com toda atenção e entusiasmo que existe.
Quando não tiver nada para dizer, apenas abrace-o em silêncio.
Mas por favor, não ignore o Jardineiro.
Cláudia Canção, Madrugada de 29 de Maio, Inspirada em uma doce conversa com o Jardineiro.

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?