quarta-feira, 5 de agosto de 2015

,

Deus só quer o coração... Será mesmo???

COMPARTILHE
Amados irmãos e irmãs, a Paz do SENHOR JESUS!!!
Vivemos em pleno século 21, a chamada era da comunicação, aonde informações chegam dentro de alguns segundos, milésimos de segundos através de milhares de quilômetros (a exemplo, a morte do Presidente Kennedy, nos EUA, chegou ao Brasil em alguns dias; o ataque suicida às Torres Gêmeas, no mesmo país décadas depois, chegou ao Brasil em alguns pouquíssimos minutos...). O problema é que essa acessibilidade à velocidade no processo de comunicação é utilizada para difundir muitas ideias que, muitas vezes, não estão de acordo com os Propósitos de Deus.


Um ensino que está muito “em alta” hoje em dia sobre o tema Salvação, é que “Deus só quer o coração”. Em se tratando de Deus, o melhor meio de estudar a Sua vontade é, logicamente, a Bíblia Sagrada, que é a Palavra d’Ele escrita através de Seus chamados, que foram eleitos para essa finalidade.

Vamos aos fatos...
No Antigo Testamento havia em Israel muitos rituais, dentre eles o de oferecer animais em sacrifício para diversas finalidades (por exemplo, Gn 15.7-11; Lv 3.1-5; Jz 6.19-22, entre outros). Observando cada texto, nos observamos que o sacrifício era feito com o animal TODO (com exceção de algumas entranhas devido impurezas). Não se sacrificava apenas esta ou aquela parte do animal, mas sim o animal todo.

Sabemos que a necessidade de realizar os rituais não existe mais, pois o SENHOR JESUS já os cumpriu, carregando Ele mesmo a nossa culpa, sendo atingido pelo castigo dos pecados de toda a Humanidade (Is 53.4-9; Hb 7.11, 26-28; 1Pe 2.21-24).

Mas, amados irmãos e irmãs, o que quero focar nessa mensagem é que desde muito antes da manifestação em carne do SENHOR JESUS, na época do sacerdócio e rituais levíticos, os animais eram oferecidos INTEIROS, o SENHOR JESUS ofereceu-se INTEIRO, e Paulo nos exorta a oferecermos a Deus o nosso culto racional, que é o nosso CORPO em sacrifício vivo e agradável a Deus (Rm 12.1). Paulo não nos orientou a oferecer apenas o coração a Deus, mas sim o corpo todo, isto é, DE CORPO INTEIRO.

Quando a pessoa ouve a pregação do Evangelho, é convencida pelo Espírito Santo que está vivendo no pecado, se arrepende por isso e se entrega ao SENHOR JESUS, nesse momento aquele que o convenceu, o Espírito Santo, passa a habitar no seu corpo (1Co 3.16), não apenas no seu coração.


O coração é aquele órgão que faz “Tum Tum, Tum Tum” (kkkk’) localizado na porção esquerda do mediastino, acima do diafragma, responsável por enviar sangu
e oxigenado aos tecidos do corpo através das artérias e o recebe pelas veias faltando oxigênio, e para enviá-lo aos pulmões que, oxigenando-o, o devolve ao coração, e o ciclo começa novamente. Mas, Biblicamente falando, o coração é bem diferente da realidade biológica.

A Bíblia mostra que o coração do homem natural é “enganoso mais que todas as coisas e perverso”(Jr 17.9), responsável por “maus pensamentos” por planejar “mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias” (Mt 15.19; 5.27,28); em contrapartida, o coração que é cheio da Presença de Deus e da Sua Palavra é responsável por prover “as saídas para a vida” (Pv 4.23). Tudo isso que a Bíblia afirma sobre o coração é a prova que ela se refere à região do cérebro humano responsável pela administração dos sentimentos humanos (o tálamo) e do estímulo que outras partes do cérebro a influenciam a estar desenvolvendo. Até aí tudo bem.
Muitas pessoas afirmam ter Jesus no coração, isso devido à filosofia mundana que “Ele só quer o coração”... Daí tornou-se até fácil afirmar essa frase tão bonita, que seria mais bonita ainda se os que a expressam realmente o pudessem.
Acontece, amados, que o SENHOR JESUS afirmou enfaticamente que “do que há em abundância no coração, disso fala a boca” (Mt 12.34a). Nosso Mestre estava dizendo que, se a pessoa tem coisas boas no coração, ela vai pronunciar coisas boas, caso contrário, ela falará coisas desagradáveis. Acontece que muitas vezes percebemos certos comportamentos nas pessoas de alguém que ainda não passou pelo novo nascimento, anda numa vida de pecados, mas fala de Jesus encantadoramente, pronuncia boas e belas palavras. Isto jamais desqualifica o que o SENHOR JESUS afirmou em Mt 13.34a, mas confirma-o. Raciocine comigo: Uma pessoa que vive numa vida de pecados, que sente prazer nos delitos que comete e, na maioria dos casos, não está disposta a abandonar os erros que pratica, tem o coração cheio de veneno espiritual, entre eles a malícia e o engano. Se ela tem engano no coração a ponto de ter a capacidade de enganar as pessoas com discursos muito belos, pode muito bem chegar até mesmo a se pronunciar sobre o SENHOR JESUS, para convencer as pessoas que tem Jesus no coração, quando na verdade não tem.

Pois é... o coração é uma área do ser humano que excede em complexidade a muitas outras, mas, quando o SENHOR JESUS liberta da vida de pecado, o coração de quem se rende a Ele é alcançado e cheio de alegria, convicção de salvação e de morar no Céu, entusiasmo em anunciar o Evangelho do Reino de Deus, pelo qual ele(a) foi salvo(a), e de desejo por Santidade.

Por fim, amados irmãos e irmãs, DEUS NÃO QUER APENAS O CORAÇÃO, ELE QUER O CORPO INTEIRO. A Bíblia mostra que, no ato místico e milagroso da primeira fase da Segunda Vinda de Jesus, quando Ele raiar nas nuvens para buscar (Arrebatar) os Seus remidos, os que morreram de posse da salvação serão ressuscitados, e juntos (os que ressuscitaram e os que estiverem de posse da salvação e vivos na ocasião), subiremos a encontrarmos nosso SENHOR nos ares com o nosso CORPO glorificado, com nosso corpo, antes mortal, revestido de imortalidade, nosso corpo, antes corruptível (isto é, passivo de sofrer detrimentos devido à influência do tempo, das condições ambientais, e etc.), revestido de incorruptibilidade (1Co 15.50-54; 1Ts 4.16,17).
Essa falsa doutrina que acabamos de refutar (isto é, desmentir), possivelmente origina-se da cultura pagã que o corpo é sujo, imundo (alguns chegam até a dizer que nosso corpo é podre), e “blá blá blá”. Pode até ser que seja, se usado de forma incorreta (o corpo), de modo que venha a torná-lo assim. Somos semente e imagem de Adão (Gn 5.3) e não mais imagem de Deus, como Adão houvera sido antes do pecado entrar na sua vida (Gn 1.27a). Por isso, recebemos a capacidade e a inclinação para pecar desde quando nascemos, mas, com a maravilha do Novo Nascimento em Cristo (isto é, a conversão a Ele e a renúncia ao pecado), juntamente com a Oração, Meditação na Palavra de Deus e com a vigilância, nosso corpo é santificado e não mais imundo pelo pecado, pois o SENHOR JESUS purificou nosso coração da má consciência e lavou nosso CORPO com água limpa (Hb 10.21), portanto, estamos limpos.

Amados irmãos e irmãs, encerro nossa publicação desta semana da nossa Coluna Escudo da Fé desejando que a graça do Senhor Jesus, que o Amor de Deus, nosso Pai, a comunhão e as doces consolações do Espírito Santo estejam com todos nós hoje e sempre. Amém. Grande abraço e até a próxima publicação.

“Pelos Teus mandamentos, alcancei entendimento; pelo que aborreço todo falso caminho.” (Sl 119.104)


Por Valney Rodrigues

Colunista – Geração Jovem

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?