segunda-feira, 8 de junho de 2015

,

Descubra o poder de uma Declaração de amor.

COMPARTILHE
"E do céu veio uma voz, que disse: - Este é o meu Filho amado, que me dá muita alegria" (Mt 3.17)

"O amor é a única razão pela qual se dá a vida" (Matthew Kelly)



Se Deus dissesse que hoje seria o último dia que você passaria com a sua família, o que você faria nessas vinte quatro horas? Amar e ser amado é a necessidade mais básica da alma humana. Quem ama demonstra, declara, deixa vazar esse sentimento como água que nutre a alma do outro. A escritora Lya Luft, em seu livro Perdas e Ganhos, ao abordar sobre o tema família, escreve uma verdade sobre a qual precisamos refletir:

"Se viver sozinho já é duro, viver em família pode ser onerado e oneroso. Sofremos com a precariedade dos laços amorosos. Sofremos com falta de dinheiro e de tempo. Sofremos com a necessidade de suprir cada vez mais os mandatos do consumo. Sofremos com o pouco espaço para o diálogo, a ternura e a solidariedade dentro da própria casa. Principalmente, não temos tempo ou disponibilidade para o natural exercício da alegria e do afeto". 2

Com razão, disse o escritor Matthew Kelly, em seu livro Os Sete Níveis de Intimida-de, "Dar e receber amor é a maior vocação do ser humano".3 Infelizmente, muitos pais nunca se deram conta da importância e do valor de uma declaração sincera de amor ao filho. A Bíblia diz que antes de Jesus ser levado para o deserto a fim de ser tentado pelo diabo, Deus, o Pai Eterno, fez uma declaração de amor que foi decisiva para a sua vitória sobre o diabo: "Este é o meu filho amado em quem eu tenho muito prazer!" (Mt 3.17).

Nossos filhos precisam sair de casa (quando vão estudar, trabalhar ou passear) sabendo que são amados incondicionalmente. Conheço muitos filhos que nunca ouviram dos seus pais uma única declaração de amor.

Certo dia, quando terminei de ministrar em uma igreja sobre a importância do carinho, do afeto e de uma declaração de amor, uma jovem procurou-me e, com os olhos cheios de lágrimas, disse-me: - Pastor, eu tenho dezessete anos e sofro de uma carência crônica de afeto paterno. Meu pai nunca me abraçou, nunca me deu parabéns no meu ani­versário, nunca me fez uma declaração de amor. Pelo contrário, já ouvi dele algumas vezes: "Você deveria ter nascido morta".

Amar e ser amado é imprescindível para a saúde emocional do(a) filho(a). As coisas que mais têm valor no relacionamento familiar não custam dinheiro. Quanto custa uma declaração de amor? Se você tem filho, por que não fazer, hoje mesmo, uma linda declaração de amor para ele? Alguém me enviou um texto que nos faz refletir por que não devemos deixar para amanhã o que podemos fazer hoje. É uma mensagem que foi deixada pelo marido de uma das aeromoças que morreram no acidente que houve com o avião da TAM em que ela trabalhava. Ele jamais poderia imaginar que aquela seria a última saída de sua esposa de sua casa para trabalhar. Por isso ele escreveu. 

se o amanhã não vier...


 "Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu veria você dormir,  

 Eu aconchegaria você mais apertado e rogaria 
 ao Senhor que protegesse você.
 Se eu soubesse que essa seria a última vez que 
 eu veria você sair pela porta, 
 Eu abraçaria, beijaria você e a chamaria de volta  
 Para abraçá-la e beijá-la uma vez mais.  
 Se eu soubesse que essa seria a última vez que 
 eu ouviria a sua voz em oração, 
 Eu filmaria cada gesto, cada palavra sua, 
 Para que eu pudesse vê-la e ouvi-la de novo, dia após dia.  
 Se eu soubesse que essa seria a última vez, 
 Eu gastaria um minuto extra ou dois, para parar e dizer: 
 eu te amo ao invés de assumir que você já sabe disso. 
 Se eu soubesse que essa seria a última vez,  
 Eu estaria ao seu lado, compartilhando do seu dia, 
 ao invés de pensar:  
 Bem, tenho certeza de que outras oportunidades virão. 
 Então eu posso deixar passar esse dia. É claro que haverá um amanhã para se fazer uma revisão.  
 E nós teríamos uma segunda chance para fazer as coisas de maneira correta.  
 É claro que haverá outro dia para dizermos 
 um para o outro: 
 eu te amo, e certamente haverá uma nova chance de dizermos um  para o outro: 'Posso te ajudar em alguma coisa?'  Mas, no caso de eu estar errado, e hoje ser o último dia que temos juntos, eu gostaria de dizer-lhe  
 o quanto eu amo você"


 Espero que nunca nos esqueçamos disso!

 O dia de amanhã não está prometido a ninguém, seja ele jovem ou velho. E hoje pode ser sua última chance de segurar bem apertado a mão da pessoa que você ama.  Se você está esperando pelo amanhã, por que não fazer hoje? Porque se o amanhã não vier, você, com certeza, se arrependerá pelo resto de sua vida de não ter aproveitado aquele tempo especial com um sorriso, um abraço ou um beijo. Tudo porque você estava muito ocupado para dar àquela pessoa o que acabou sendo o último desejo que ela queria.  Então, abrace o seu amado, a sua amada, o seu fi­lho, a sua filha hoje. E dê esse abraço bem apertado.  Sussurre no seu ouvido, dizendo o quanto você o(a) ama e o quanto o(a) quer junto de você. Gaste um tempo para dizer: desculpe-me; por favor; me perdoe; obrigado; ou ainda, não foi nada; está tudo bem.  Isso porque, se o amanhã jamais chegar, você não terá que se arrepender pelo dia de hoje. Pois o passado não volta e o futuro talvez não chegue.  Papai, mamãe, marido e esposa: parem agora por alguns minutos e reflitam sobre essa mensagem. E pratiquem-na!
 Lembrem-se, amor em família é uma arte, um malabarismo, por vezes um heroísmo: essencial como o ar que respiramos. 

Amo Família
extraído do livro: 21 dicas para ser um pai ideal
Autor(a): Pr. Jousé Gonçalves

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?