sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Cristão vai ao psicólogo e ao psiquiatra?

COMPARTILHE

Pastores, psiquiatras, psicólogos e pacientes apresentam suas perspectivas sobre a importância das terapias

PatientComplaintHandlingSoftware“Já tenho Jesus, não preciso ir ao psicólogo!”, “Terapia com psiquiatra é para gente doida”. “Converso com Deus e tudo fica resolvido, não vou ficar curtindo dor”, “O que meus irmãos vão pensar se eu disser que vou ao psicólogo e ao psiquiatra?”, “Essa dor vai passar, vai passar…”, “E se eu ficar dependente a vida inteira de tratamentos e terapias?” Essas são algumas opiniões comuns que podemos ouvir por aí. Aliás, talvez você já tenha proferido uma dessas frases ou até mesmo pensou assim. A intenção desta matéria não é julgar você que, talvez, pense de uma das formas citadas acima ou julgar pessoas que frequentam os consultórios de psicólogos e psiquiatras, mas sim, propor uma reflexão a partir da perspectiva de profissionais de saúde, pastores e pacientes, se uma pessoa, crente no Senhor Jesus Cristo, pode ou não buscar tratamento com psiquiatras e psicólogos.
De acordo com a psicologia e a psiquiatria, o ser humano é organizado de forma tricotômica, ou seja, é composto de espírito, mente e corpo. Por isso, as duas áreas da saúde atuam para ajudar indivíduos a encontrarem soluções para problemas de ordem psíquica e que em alguns casos trazem problemas para o funcionamento natural do organismo. As terapias aplicadas pelos psicólogos e psiquiatras nos consultórios são variadas. As mais empregadas e conhecidas são: terapia cognitivo-comportamental (baseada no princípio de que se um comportamento mal adaptado pode ser aprendido, ele também pode ser desaprendido); terapia psicanalítica (baseada em estudo introspectivo do ser humano); solução sistêmica breve (ajuda no desenvolvimento de novos modos de interação nas relações com os outros, buscando soluções que melhor conciliem as expectativas de cada um).
Os psiquiatras, por serem médicos, dependendo do diagnóstico do paciente, podem receitar medicamentos como auxiliares do tratamento. Alguns psicólogos adotam em seus consultórios tratamentos alternativos, tais como, florais de Bach, massoterapia, meditação e relaxamento como ferramentas terapêuticas. Entretanto, as opiniões de pacientes divergem quanto à eficácia dessas terapias alternativas. Até mesmo em relação às terapias tradicionais descritas no parágrafo anterior, há divergência de opiniões. Para alguns, a terapia é importantíssima e não se preocupam quanto tempo permanecerão frequentando o psicólogo ou o psiquiatra, mas para outros as conversas e terapias não fizeram diferença alguma.
Esse é o caso de R.B que, durante três anos, fez terapia cognitivo-comportamental com uma psicóloga. Ela experimentou como terapia alternativa a meditação e o relaxamento, mas não viu as suas dificuldades de autoaceitação, relacionamento familiar e depressão serem solucionadas. “Inicialmente, senti um alívio muito grande em ter, toda semana, alguém com quem conversar e expor meus problemas, porém, depois de dois anos, observei que os mesmos comportamentos persistiam e a depressão aumentou sendo necessário buscar a ajuda de um psiquiatra. Os remédios ajudaram um pouco, mas, com o tempo, as doses aumentaram e as dores da minha alma também”, conta R.B.

DSC04745
Pr. Rogério Goulart
O cuidado com o ser humano e a busca por compreender e ajudar os homens a encontrarem a resposta para as dores da alma e limitações psíquicas também são objetos de estudo da Teologia. A maior parte dos teólogos, assim como na psicologia e na psiquiatria, concordam que o homem é um ser constituído de espírito, alma e corpo, sendo impossível pensar nele desconsiderando qualquer uma das partes. Nem todas as igrejas se preocupam ou têm um ministério voltado para essa área. Em nossa igreja, o Ministério Clínica da Alma desenvolve um trabalho de cura, libertação e restauração emocional, física e espiritual. A equipe é composta por pastores, médicos, psicólogos e terapeuta ocupacional para tratar do ser como um todo. “Juntos fazemos o estudo de caso de cada pessoa que é atendida na clínica. Cada um aborda sua área. A pessoa passa por atendimento psicológico, médico, terapêutico e pastoral. Encaminhamos para cada profissional de acordo com a necessidade, se é da alma, físico ou espiritual”, explica o pastor Rogério Goulart, líder do ministério.
O pastor Rogério faz uma observação importante a respeito dos profissionais da psicologia e psiquiatria. “A psicologia pode acrescentar muito ao ser humano, desde que seja um cristão psicólogo, pois, ele irá utilizar como base para os tratamentos a fé cristã, empregando a formação acadêmica como suporte”, afirma. Maísa Egídia de Oliveira é membro da nossa igreja e psicóloga do Ministério Clínica da Alma, trabalha com atendimento individual e com casais, sempre levando em consideração os valores, as crenças e o contexto no qual a pessoa vive, focando na solução em vez do problema em si. Além disso, por ser cristã, a Palavra de Deus está sempre presente no tratamento de forma explícita, quando se trata de um paciente cristão, e implícita quando não é o caso. “O psicólogo cristão entende a linguagem própria do cristão e respeita o seu modo de vida. Nós utilizamos a técnica de acordo com a Palavra de Deus. Com o paciente não cristão utilizo a mesma terapia e quando tenho oportunidade falo da Palavra de Deus”, elucida Maísa.

VANUSA E VANESSA
Vanusa e Vanessa
Uma psicóloga de nossa igreja, Vanusa Amaral Fernandes, em seus tratamentos, elabora com o paciente, metas terapêuticas de maneira que ele consiga desenvolver comportamentos eficazes diante de situações conflituosas. Vanusa equilibra os conhecimentos bíblicos com os conhecimentos acadêmicos, para auxiliar o paciente durante as terapias e acredita que o acompanhamento psicológico e o aconselhamento pastoral são diferentes, mas podem caminhar juntos para ajudar os pacientes cristãos. “Quando percebo que o conflito do paciente é de fundo espiritual ou que ele necessita apenas de um aconselhamento, encaminho-o imediatamente para um acompanhamento pastoral ou um trabalho de libertação”, esclarece Vanusa.
Em tratamentos espirituais e terapêuticos não existe uma duração específica, tudo dependerá do paciente e das suas reais necessidades. Cada indivíduo é um ser com suas complexidades, problemas e reações perante a dor e aflições da vida. Para aqueles que são cristãos, a fé é um alicerce importante para se alcançar a cura da alma e de problemas psíquicos e também um aliado dos psicólogos e psiquiatras cristãos. “Os pacientes já sabem que sou cristã, por isso, posso falar de Deus, do Espírito Santo e até do Diabo. Esses conhecimentos bíblicos me auxiliam a conduzir o tratamento respeitando a fé da pessoa e utilizando dessa mesma fé para obter melhora do sofrimento que a aflige”, explica a psiquiatra e membro da IBL Vanessa Amaral Barbosa.
O outro lado da terapia: o paciente

SAMSUNG DIGITAL CAMERA
Hélvia Brito
Hélvia Brito, 49 anos, pedagoga e membro da nossa igreja há 36 anos, lidou por 20 anos com a depressão. Passou por altos e baixos, tempos de estabilidade e instabilidade emocional. Hélvia buscou ajuda na Palavra de Deus, oração, passou por libertação e tratamentos espirituais, mas não compreendia o motivo do estado emocional que se encontrava. Segundo suas palavras, ela “sentia uma dor de existir”. Inicialmente, Hélvia e o esposo, Heron Brito, relutaram em buscar ajuda psiquiátrica e psicológica, mas devido à piora do quadro emocional de Hélvia, ligaram para a clínica da psiquiatra Vanessa Amaral e agendaram uma consulta. O fato de Vanessa ser cristã trouxe um conforto e também liberdade para Hélvia expor a sua dor. “É importante ter psiquiatras, psicólogos e médicos cristãos, porque nos dá liberdade de falar sob uma direção dada pelo Senhor. Eu sempre obedeci aos tratamentos, mas crendo que Deus poderia me curar”, conta Hélvia.
Outro ponto importante que Hélvia ressalta é que as terapias foram importantes para compreender o que estava acontecendo e trabalhar na área específica que precisava ser transformada. “A minha médica me explicou que o que eu sentia e fazia eram sintomas específicos da depressão. Entretanto, a dor que sentia não passava, mesmo seguindo à risca as prescrições médicas”, revelou ainda Hélvia. A última alternativa que Hélvia abraçou em busca da sua cura foi participar do Programa Escolhidos, na Estância Paraíso, onde ficou por 17 dias e lutou com todas as suas forças contra o problema. “No início, pensava que não ia dar conta, mas eu me lembrava do compromisso que havia feito com Deus, de me esforçar e fazer tudo o que estava ao meu alcance”, recorda. Na Estância, Hélvia recebeu a cura pela qual tanto esperou e retornou para casa uma mulher disposta a continuar a vencer a cada dia. “Quero viver, envelhecer junto ao meu marido, estar junto dos meus filhos e ver meus netos crescerem. Voltei às minhas atividades ministeriais, atuando na área de pedagogia e escrevendo um livro na minha área de atuação profissional. Hoje sou uma pessoa realizada em Deus”, finaliza Hélvia. Assista ao testemunho completo de Hélvia no youtube. Digite na busca o texto “Hélvia Brito vencendo a depressão” e seja abençoado e edificado.
Ao contrário de Hélvia, Bel Silva, evangélica há 13 anos, faz terapia desde 2011. Para ela, as conversas e idas ao consultório têm sido importantes para ajudá-la na compreensão de si mesma. Bel, inclusive, relata que o fato de ir ao psicólogo não significa não ter fé em Cristo ou não crer em Seu poder, pois após as sessões de terapia, o Espírito Santo tem sido um conselheiro importante para encontrar a solução para suas limitações. “Para mim, o terapeuta ou psicólogo é um instrumento nas mãos de Deus para ajudar pessoas com situações as quais não conseguem lidar sozinhas. Ele ajuda a trazer à tona aquilo que precisa ser curado, tratado, compreendido, para que assim a pessoa encontre o caminho, a solução para seus problemas. Na minha vida, a soma da terapia, a comunhão com Deus e Sua Palavra têm colaborado muito para a cura dos problemas da alma”, explica Bel.
É importante frisar que as psicólogas e a psiquiatra entrevistadas para esta matéria ressaltam que é impossível definir o tempo de tratamento para qualquer pessoa, cristão ou não. Isso dependerá de cada indivíduo, que pode fazer terapia por alguns anos ou até mesmo por toda a vida.
Por fim, se você tem falado qualquer das frases do início dessa matéria, é momento de repensar. Assim como Deus inspira farmacêuticos, médicos de várias áreas, e muitos outros profissionais, a fim de criarem tratamentos que curam, Ele também tem inspirado psicólogos e psiquiatras que podem ajudar as pessoas em seus problemas de alma. Não deixe que os tabus e preconceitos o afastem de buscar solução para os seus problemas. Deus opera milagrosamente, quer seja por meio de uma oração quanto por meio de um tratamento equilibrado e um remédio bem administrado.
Entre em contato com a Clínica da Alma: (31) 3429-9500 / Pr. Rogério 9238-3513 (Tim) / 8489-2693 (Claro). E-mail: clinicadaalma@gmail.com

Entre em contato com a Estância Paraíso: (31) 3691-6560 / 36916430 / 3691-6413 (falar com Joana). E-mail: estancia.paraiso@live.com
Fotos: Internet/ Arquivo pessoal
:: Kátia Brito
Lagoinha.com

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Se Jesus voltasse hoje você subiria?