segunda-feira, 18 de julho de 2016

Uma promessa de Restauração?

Esta semana estive lendo um livro de apologética cristã, que trata de um grupo religioso muito singular. eles pregam que apenas a sua "igreja", seus membros e líderes são verdadeiramente salvos em Cristo. É uma organização que ensina doutrinas que mais parecem mitológicas que bíblicas. Inclusive, além da Bíblia, eles utilizam outro livro ao qual atribuem o título de sagrado, por se tratar de uma suposta revelação que o fundador da mesma obteve. Acerca do fundador da referida organização religiosa, que viveu no século 19 nos Estados Unidos, este alegou que teve uma revelação num bosque em que dois personagens lhe apareciam: o Pai e o Filho (Deus e Jesus), tendo lhe dito que nenhuma das Igrejas existentes eram certas, as quais todas eram apóstatas, e que Eles supostamente o guiariam para fundar a "Igreja Restaurada". O intrigante é que na primeira declaração acerca dessa suposta revelação, o referido fundador dessa religião afirmou que estava sozinho no bosque orando, quando apenas Jesus lhe teria aparecido, já na segunda declaração acerca da mesma suposta revelação, o chamado "profeta, relevador e apóstolo" já dá uma outra versão dos fatos: ele estaria na presença de um amigo, e o Pai e o Filho lhe teriam aparecido e dito que ele seria "o grande reformador da Igreja".

Eu tomei a liberdade de copiar um trecho do livro com algumas alteações feitas por mim, a fim de não expor o título da organização no texto nem deixar que esta publicação da nossa coluna venha a ser interpretada como afronta pelos integrantes da seita que venham a lê-la. Segue-se abaixo o texto do livro:

Atos 3.20,21 - Uma promessa de Restauração?

O Ensino da Organização Religiosa: Em Atos 3.20,21 lemos: "E enviei ele a Jesus Cristo, que já dantes foi pregado, o qual convém que o céu contenha até aos tempos de restauração de tudo, dos quais Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio". Os membros da referida seita dizem que esta passagem aponta para uma apostasia e uma época subsequente de "restauração". Em seu livro A Marvelous Work and a Wonder (Uma Obra Maravilhosa e um Milagre), um determinado líder desta seita diz:

"Quando estivermos procurando a segunda vinda de Cristo, devemos perceber que Ele não virá antes que haja uma "restauração [ou restituição] de tudo". É obvio que não pode haver uma restituição daquilo que não foi tirado. Portanto, esta escritura é uma outra predição muito clara de apostasia - a retirada do evangelho da terra - com a promessa de uma completa restauração de todas as coisas faladas por todos os santos profetas desde que o mundo começou."

A "restauração de todas as coisas", dizem os ensinadores dessa religião, seria a restauração do evangelho, e era isto que todos os santos profetas almejavam. Este evangelho restaurado teria vindo a nós pela restauração da "única igreja verdadeira" através do chamado "profeta restaurador".

O Ensino Bíblico: Os cristãos evangélicos têm várias interpretações para Atos 3.20,21. Muitos expositores da Bíblia crêem que a referência trata da restauração de Israel. Afinal, Pedro estava falando especificamente a "varões israelitas" neste sermão (veja At 3.12), e ele fala do cumprimento de tudo o que os profetas haviam predito.

Craig S. Keener, em seu útil Bible Background Commentary, mostra que o povo judeu esperava a restauração de Israel; esta era uma mensagem central dos profetas do Antigo Testamento (por exemplo, Is 40.1-11; Jr 32.42; Ez 37.21-28; Os 11.9-11; 14.4-7; Am 9.11-15), e Pedro parece ter isso em vista aqui".

Outros estudiosos tomam referência à "restauração" ou "restituição" de forma mais geral. Estes indivíduos acreditam que "a restauração de todas as coisas deve ser entendida como o dia do juízo e da consumação dos séculos quando o Senhor voltará".

Independentemente de qual interpretação seja correta, podemos saber com certeza o que Atos 3.20,21 não diz. O texto e o contexto circundante não sugerem nem de forma remota que haveria uma apostasia total de toda a igreja. Os seguidores desta seita estão simplesmente lendo no texto algo que não está lá. Isto é chamado eisogese (forçar um significado, ler o significado incluindo algo no contexto), em oposição à exegese (extrair o significado de dentro do texto). Permitindo que o texto fale por si só, uma pessoa jamais chegaria à conclusão de que Atos 3,20,21 está se referindo a uma completa apostasia da igreja.

[...] "As Escrituras interpretam as Escrituras". Consultando outras passagens da Bíblia e comparando-as umas com as outras, torna-se claro que jamais haveria uma apostasia total de toda a igreja. Por exemplo, Jesus disse a Pedro: "Tu és Pedro e sobre essa pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela."(Mt 16.18, grifo do autor). Dizer que a igreja inteira entrou em apostasia está em conflito direto com esse versículo.

[...]
(RHODES, Ron & BODINE Marian. Argumentando com os Mórmons a partir das Escrituras. 1ª Ed. 2006. CPAD. pp. 45-47. Adaptado)
Amados irmãos e irmãs, observemos a necessidade de nos firmarmos cada dia mais nas Escrituras para não sermos levados por esses ventos de doutrinas, pois não só esse grupo religioso que o autor se refere mas tantos outros que se utilizam da eisogese para confundir muitas pessoas e levá-las a erros doutrinários muitas vezes difíceis de serem corrigidos na mentes delas.

Vigiemos, pois, e vamos ler a Bíblia.
"Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo e não segundo Cristo; porque nEle habita corporalmente toda a plenitude da divindade." (Cl 2.8,9)

Por Valney Rodrigues
Geração Jovem

SOBRE O AUTOR

Geração Jovem

Colunista & Editor

Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido [...]" 1 Pedro 2:9a.

Postar um comentário

 
Geração Jovem - Site Oficial © 2017 - Vamos Mudar o Mundo. Todos os direitos Reservados - Fornecido por CC
PageRank