quinta-feira, 19 de maio de 2016

, ,

Existe vida depois da morte?

COMPARTILHE
Como amante da Palavra de Deus, eu fico encantado com a total plenitude da sua perfeição e dos seus ensinamentos que serviram nos tempos remotos, nos atuais, e continuarão a servir sempre.

Nesta semana vamos aprender o que a Bíblia nos ensina sobre o que acontece após a morte. Sabemos que a morte tem significados diferentes diante de situações diferentes. Existem três tipos de morte: (1) Morte física: É a interrupção das atividades biológicas de um organismo seja ele unicelular ou pluricelular, seja por causa natural, como a velhice (Jó 42.17) ou enfermidade (2Rs 1.2,17), ou causada por outra pessoa (Gn 4.8) ou por um animal (2Rs 2.23,24) ; (2) Morte espiritual: É o estado do ser humano em separação de Deus, vivendo afundado em más obras e iniquidade (Rm 5.12-14); e (3) Morte eterna: É o estado eterno e permanente onde, quem morre fisicamente, estando já morto espiritualmente, se encontrará para sempre (Mt 25.46; Ap 20.15).

Estive conversando com uma pessoa acerca do vimos em um programa de televisão que fazia apologia a uma crença que afirma que os espíritos dos seres humanos podem permanecer no nosso planeta depois de saírem do corpo físico em que habitavam. Pessoas que creem nesse tipo de ensinamento afirmam que tiveram “experiências espirituais”, onde espíritos de parentes falecidos se apresentaram aos vivos, alguns para atormentá-los por causa de prejuízos que os provocaram, outros para “pedir ajuda”, pois não estariam aceitando o fato de estarem mortos, outros relatos dizem que espíritos se materializaram para informar a parentes ainda vivos acerca de patrimônios financeiros escondidos e não declarados por eles em vida.
Amados irmãos, não podemos negar o fato dessas manifestações, pois a própria Bíblia nos dá evidências que esse tipo de evento acontece há muitos séculos. Por exemplo, quando o SENHOR JESUS foi ter com Seus discípulos no barco andando sobre as águas do Mar da Galileia, eles se espantaram e começaram a gritar, porque pensavam que estavam vendo um fantasma, isto é, um espírito materializado (Mt 14.24-27; Mc 6.48-50; Jo 6.16-21). Isto deixa claro que já na antiguidade havia relatos de manifestações desse caráter onde supostos espíritos humanos se apresentavam aos vivos.

Amados irmãos e irmãs, acontece que, o que as pessoas afirmam ver são realmente espíritos, mas, que espíritos são esses? É o que veremos mais a diante (Leia com atenção e vá juntando todas as informações para construir corretamente o raciocínio a diante – Boa leitura).
A Bíblia nos mostra que Deus nos concedeu a oportunidade de viver e morrer apenas uma vez, e, depois disso, aguardarmos o juízo (Hb 9.27), e, depois da morte até o dia do nosso julgamento, os espíritos ficam reservados, daqueles que receberam a salvação em vida no Paraíso, dos que não a receberam em vida no Hades.

Em Lc 16.19-31 o SENHOR JESUS nos contou a parábola de um homem rico que, provavelmente não era temente a Deus nem à Sua Palavra, e de um homem chamado Lázaro, um mendigo leproso que ficava em frente à residência do rico esperando alguma esmola do mesmo, e os cães lambiam as suas feridas, porém, pelo desenvolver dos fatos, é provável que este fosse temente a Deus e à Sua Palavra. O fato de alguém possuir riquezas não é pecado, o erro se encontra em que muitos ricos não prestam nenhum tipo de assistência aos desfavorecidos e, muitas vezes, os oprimem. Aconteceu que morreram ambos, o rico e Lázaro. O rico se viu em um lugar onde as chamas o atormentavam e ele estava em um sofrimento extremo, quando ergueu os olhos e viu Abraão no seu seio, e Lázaro, na sua companhia. O rico pede a Abraão que mande a Lázaro que molhe o dedo na água para refrescar sua língua no Hades, mas Abraão o disse que os que estão no seu seio não podem ir ao Hades e vive versa, quando o rico pede a Abraão para que Lázaro vá avisar aos seus parentes acerca daquele estado que estavam prestes a também se encontrarem, porém Abraão o afirmou que entre os vivos existiam os que ministravam a Palavra de Deus, o livro da Lei mosaica e os livros dos profetas, e mesmo que um morto ressuscitasse, eles não creriam na sua palavra.

Observe nessa parábola que o SENHOR JESUS contou que há alguns elementos: Ele deixou evidente que após a morte o espírito de quem recebeu a salvação em vida passará a desfrutar de alegrias e de paz, enquanto os de quem não a receberam estará em sofrimento mesmo antes da condenação pelas iniquidades praticadas em vida e pela incredulidade. Há uma crença religiosa chamada “reencarnação”, que afirma que, depois da morte, os espíritos podem voltar à vida em outro corpo para compensar o que sofreram na “vida anterior”, ou sofrer pelo dano que causaram também na “vida anterior”. Diante da parábola do rico e Lázaro, podemos ver que o espírito de Lázaro estava sendo consolado no seio de Abraão, posteriormente chamado de Paraíso, pois, em vida era um mendigo leproso, ou seja, um acometido de flagelos e doenças, mas, certamente temente a Deus e à Sua Palavra, e foi levado a um lugar de paz, onde não há mais doença, pois se ele ainda estivesse leproso depois da morte, o rico não teria a vontade de ser refrescado por um pingo de água no dedo de Lázaro. Sendo assim, não é possível admitir que exista reencarnação para aqueles que foram acometidos de enfermidades e de moléstias, nem para os que foram maus, pois o rico não teve oportunidade de uma “outra vida” para reparar o que fez antes de morrer.

Voltando à nossa questão primária, depois de tudo isso que já aprendemos, observemos que não há possibilidade alguma de um espírito de um ser humano voltar à existência e passar novamente pelo ciclo da vida. E como depois da morte, seja no Paraíso, seja no Hades, todos os espíritos ficam aguardando o juízo, portanto não há condições dos mesmos se apresentarem materializados aos vivos.
Mas, algumas linhas acima da nossa coluna dessa semana, há a afirmação que essas manifestações são fatos. Se não são os espíritos humanos que aparecem, o que então? Vamos mais a diante.

O Espírito Santo, pelo ministério de Paulo, revelou que “o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz” (2Co 11.14), dando a entender que, se Satanás, que é um espírito, pode se transfigurar em um anjo de luz, os demais espíritos imundos (ou demônios) também têm o mesmo poder, e não só de se transfigurarem em anjos de luz, como também em seres humanos. Lembre-se que Satanás já se transfigurou em uma serpente... (Gn 3.1)

Sendo assim, diante desses fatos, podemos afirmar sem medo de errar, que as manifestações de supostos mortos, são materializações de espíritos imundos a fim de enganar as pessoas que não detém conhecimentos da Palavra de Deus, e estes espíritos também influenciam essas pessoas que são enganadas por eles a se distanciarem cada vez mais da Palavra de Deus, que é a Bíblia Sagrada, para darem ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios (1Tm 4.1).

Voltando à parábola do rico e Lázaro, podemos observar que Abraão disse ao rico que mesmo que Lázaro ressuscitasse dos mortos e dissesse o que tinha visto os homens maus não creriam nele. O SENHOR JESUS deixou evidente que depois de mortos, os espíritos não voltam aos vivos para informarem coisíssima nenhuma, mas que, ao invés disso e da reencarnação, existe a possibilidade da ressurreição. Mas, quanto aos relatos de “manifestações espirituais” em que supostos entes falecidos teriam “voltado” para avisar de um tesouro escondido, de um culpado de um crime, ou coisa parecida? Vamos entender agora.


O Espírito Santo revelou pelo ministério do Apóstolo Pedro que “o diabo anda em [nosso]derredor bramando como um leão, buscando a quem possa tragar” (1Pe 5.8, grifo e [] do autor). Observe que o diabo anda em derredor, ou seja, ele não tem capacidade de saber o que estamos pensando, pois o único que tem esse poder é Deus (Sl 139.1), mas o diabo e os demais espíritos imundos observam o comportamento das pessoas com a finalidade de imitá-las, e de eles mesmos se materializarem com a aparência dos entes falecidos, e até dão informações acerca de tesouros escondidos e tudo mais. Agora chegamos no porquê dessas manifestações e dos relatos, que realmente são verdadeiros, mas não que sejam "aparições" de pessoas que faleceram e precisam de ajuda, ou algo do tipo, mas sim, de demônios disfarçados de seres humanos.

Amados irmãos e irmãs, a Palavra de Deus tem resposta para tudo, e quando nos dispomos a mergulhar nas suas páginas a fim de estudá-la e procurar resposta para nossas dúvidas, nós encontramos. Cabe a nós anunciarmos as verdades contidas nela, não para magoar as pessoas que acreditam nesse tipo de doutrina que está descrita e combatida acima, mas para orientá-las acerca disso, e orando por elas, pedindo ao Amigo Espírito Santo que realize a maravilhosa obra de convencer essas vidas do pecado, da justiça e do juízo, pois isso cabe a Ele (Jo 16.7-11), e a nós, pregarmos a Palavra da verdade, pois, como crerão em quem não ouviram, e como ouvirão se não há quem pregue? De sorte que a fé vem pelo ouvir, e ouvir pela Palavra de Deus (Rm 10.14-17; Mt 28.19; Mc 16.15).

“A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz.” Rm 13.12

Amém.

Por Valney Rodrigues
Colunista – Geração Jovem

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Se Jesus voltasse hoje você subiria?