Tenho tido o prazer e orgulho, muitas vezes, pela honestidade e integridade de minhas filhas, especialmente porque compreendo como esses traços de caráter são raros.
Uma pesquisa recente indica que a mentira impera atualmente entre os alunos da escola secundária. Numa pesquisa feita entre alunos mais novos e mais velhos, quase 80% admitiram certa desonestidade, tal como copiar a lição de um colega ou colar numa prova.
pai
Uma pesquisa entre adolescentes e outros jovens, indica que quase metade (44%) acha que “mentir é às vezes necessário”. Roubos em lojas (e outras formas de roubo) estão na moda entre os adolescentes de algumas escolas e comunidades.
Infelizmente esse tipo de comportamento e atitude também não ficam confinados às “crianças problemas”. É bastante comum entre as que frequentam a igreja, crianças cristãs e crianças de famílias cristãs.
Uma pesquisa americana com 4.000 adolescentes nas igrejas cristãs evangélicas mostrou que dois em cada três indicaram haver mentido para um pai, professor ou outra pessoa mais velha nos meses anteriores. Um pouco menos afirmaram ter mentido a um amigo ou colega nos últimos meses.
Mais de um terço (36%) admitiu ter trapaceado num exame ou outra avaliação no mesmo período e 15% disse que havia roubado recentemente dinheiro ou outros bens.
Bem, o que eu quero mesmo é que minhas filhas saibam mais. Quero que minhas filhas se tornem mulheres íntegras. Não que enganem, nem mintam para mim ou para qualquer pessoa. Quero que falem a verdade e vivam honestamente. Quero que tenham uma existência tranquila, cuidem de sua própria vida e trabalhem de modo que o seu comportamento diário obtenha o respeito dos outros.
Quero ser o tipo de pai que ensina, treina e dá exemplo. O tipo de pai cujos filhos se lembrem de sua honestidade e sinceridade. O tipo de pai cujos filhos o respeitem pela sua integridade. O tipo de pai que meu Pai do céu é.
Depende do nosso exemplo diário. Dica de hoje, de Pai para Pai.
Fotos: Internet