domingo, 5 de outubro de 2014

, , ,

“É até aqui e não mais adiante!”

COMPARTILHE

Mais uma história de cura. E desta vez de Cláudio. Mas antes, terei que falar sobre mim pra vocês entenderem. rsr
Quando eu, Cláudia, nasci, com poucos dias tive um probleminha no pulmão e sofri muito com secreções. O médico aconselhou minha mãe a fazer uma especie de lavagem e com uma ‘magueirinha’ puxar tudo aquilo, pra que eu não sofresse tanto de cansaço e asma depois. Ela permitiu. Mas ela disse que era doloroso demais vê aquelas máquinas ligadas a um bebê ainda tão desprotegido e indefeso. Mainha fala que todo meu frágil corpo tremiam e eu chorava demais. Ela ainda tentou que o médico parasse com aquilo mas aquela altura, era melhor deixar terminar o procedimento.
Passou. Eu realmente nunca tive asma. Até pra gripar dá trabalho, graças a Deus. Mas também quando acontece, só a graça, fico ‘derrubalizada’. rsrs Mas fora isso, tenho uma imunidade abençoada.
E então nasceu Cláudio. No nascimento dele, minha mãe estava extremamente anciosa e teve sérios problemas na hora que Cláudio veio ao mundo. Ela passou muito mal e quase se foi. Mas o Pai tinha planos pra ela ainda, e a fez ficar bem. O menino de quase 5kg, cabeludo e ao contrário de hoje extremamente calmo – até pra chorar deu trabalho- nasceu forte e aparentemente sem nenhum problema.
Mas como aconteceu comigo, algumas semanas depois, probleminhas no pulmão surgirão e toda aquela historia de pulmão cheio de secreção se repetiu. Desta vez, Mainha não deixou que ele fosse para a máquina que faz o bebê tanto tremer pra limpar o pulmão. Ela disse que não suportaria vê aquilo novamente e preferiu um tratamento mais ameno.
Cláudio ficou bom. Graças a Deus. Mas… em compensação, todo aquele sofrimento de ficar dodoi se repetia absolutamente todos os meses. Era impressionante. Ele estava bem, estava, estava… e de repente, adoecia. Era asma. Cansaço. E dos bem forte.
Ele cresceu nessa peleja. Ele já até tinha enfrentava aquilo com normalidade, pois sabia que ao fim de alguns dias, tudo ficaria bem de novo.
Eu lembro que Cláudio dormia o dia inteiro, já que ele não conseguia fazer absolutamente nada. A respiração dele chegava a fazer um barulho alto, como de alguém que força, parecia um ‘apito’ constante no pulmão do Cláudio, além de quê entre o peito dele, você via a musculatura subir e descer em esforço. Era de dá dó.
Como sempre fomos muito apegados, nestes dias, eu passava parte do dia no quarto ao lado dele. E eu lembro que tinha um medo absurdo de encontrar ele morto. Na minha cabeça, eu só pensava que ele estava dormindo muito e que uma hora aquela respiração alta ia parar. Mas ai, entre remédios, sucos forçados e caprichos da Dr. Mainha, ele melhorava sempre.
Ele não podia NEM DE LONGE ver sorvete, água gelada ou banho de rio. O vento vinha no sul e ele já espirrava aqui.
Mas aí, começamos a louvar a Deus, como vocês sabem bem pequenos. Ai sim, o caldo engrossou. As agendas começavam a surgir e ali já não dava pra ficar deitado o dia todo. Além disso, era algo que já faziamos com amor. Tinhamos prazer em louvar a Deus desde muito pequenos.
E era um sofrer. Cancelavamos algumas agendas, e pra outras nós íamos com muito esforço. Cantar sem ar é muito ruim. Tossindo, forçando, sofrendo.
E nós oravamos muito pedido a Deus uma solução pra tudo aquilo.
Então um dia, fomos louvar a Deus na Assembléia de Deus em Saldanha da Gama. Era um dos piores dias do cansaço de Cláudio. Mas ele realmente queria ir. Nós estavamos muito preocupados e minha mãe tentou convence-lo de que se ele não fosse, os irmãos iriam entender. Mas ele sempre gostou da “Saldanha”. ( É uma congregação da nossa cidade, em Vitória de Santo Antão – PE). E decidiu ir.
Ele louvou a Deus com muito esforço, e lembro-me que o poder de Deus inundou a igreja de uma forma muito forte. Louvamos o hino “Lamento de Israel”, em hebraico.
Ele tinha as bochechinhas vermelhas, por conta que tinha tido febre durante o dia, e os olhos estavam com aquela aparencia de doente.
Quando terminou o culto, já estavamos nos organizando pra sair do templo, quando o Senhor decidiu curar o Cláudio. Uma irmã cheia de Deus e usada por ele voltou da porta estralando em línguas estranhas, se aproximou de Louvor e pôs a mão no pulmão dele e gritou: “Efermidade, você esteve aqui ATÉ HOJE! Nunca mais, NUNCA MAIS meu servo sofrerá este mal! É até aqui e não mais adiante!”.
O pequeno Cláudio tinha em média uns 7 ou 8 anos. Chorava como só criança sabe chorar. Mas ao terminar, o semblante dele, acreditem já era outro.
Fomos pra casa, e Cláudio dormiu e no outro dia já não era mais o mesmo. E realmente, aquela terça feira anterior, foi a última vez que Cláudio ‘puxou’ o ar com esforço, foi a última vez que ele teve asma. O Deus todo poderoso e fiel decidiu fazer e fez.
Mainha ainda tinha medo de deixar ele tomar picolé, mas… escodidinho, no caminho da escola ele perdeu a conta de quantos tomou. hehehe Mas sabe do que mais? Mainha sempre descobria! hahahaha
Mas nunca, nunca mais ele sofreu daquele mal terrível. Só ficou a ‘marca’ pra ele não esquecer do que Deus fez. O peito dele tem uma pequena ‘cavidade’ e ele se acaba de vergonha de ficar sem camisa, rsrs. Hoje em dia ele tá até mais tranquilo com isso. Entendeu que o mais importante Deus já operou.
Todos os dias, ouvimos testemunhos de que Deus fez, operou, surpreendeu, disse e cumpriu. Mas é muito complicado quando é pra acontecer com a gente não é? É que nos achamos indignos, que não é pra gente, que é impossivel. Sabe o que realmente acontece? Perdemos a oportunidade de presenciarmos um milagre. Milagre é milagre por isso!! É que quando TUDO está dizendo que não vai, que não jeito, que não vamos conseguir, ai a gente usa nossa fé e acontece o milagre.
Seja persistente diante de Deus naquilo que você precisa. Nós nunca perdemos a confiança de que Deus daria um jeito na saúde do Cláudio e foi o que ELE fez.
Em alguns momentos, a sua FÉ será manifestada e surtirá efeitos em SEGUNDOS. Em outros momentos, sua fé será testada sob a insistência diante do Criador. ” Pedi, pedi e dar-se-vos -a. “
Use a fé que você tem. Seja ela pouca ou muita, use-a. Deus pode surpreender você.

Fiquem com Deus, e até a próxima.
Cláudia Canção

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Se Jesus voltasse hoje você subiria?