terça-feira, 17 de março de 2015

,

Os cristãos, o ódio e as redes sociais.

COMPARTILHE
Ultimamente tenho reparado tanto nas redes sociais quanto nos mais variados BLOGS uma enorme apologia ao ódio. Pois é, confesso que estou impressionado com o número de pessoas que no intuito de defenderem suas opiniões vociferam todo tipo de acusações, mentiras, rancores e desrespeito.
Ora, não estou com isso defendendo o fato de que não podemos discordar das opiniões alheias. Longe disso! Creio que a verdade, precisa ser dita, no entanto, discordo da agressividade, bem como do ódio destilado da boca e do coração daqueles que se dizem cristãos.
O Facebook é um claro exemplo disso. Na semana passada quando a imprensa mundial anunciou a morte da ex-primeira ministra Margareth Thatcher impressionou-me a quantidade de mensagens celebrando o fim daquela que ficou conhecida como a "dama de ferro." O que falar então da polêmica Marco Feliciano? De todos os lados o que mais lemos são afrontas, gritos e berros virtuais amaldiçoando, criticando e xingando o deputado paulista. 
Caro leitor, as Escrituras são claras em afirmar que “O ódio excita contendas” (Provérbios 10:12). Nosso Senhor ensinou que os seus discípulos seriam reconhecidos pelo amor. "Nisso reconhecerão todos que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros". (João 13, 35). Provérbios diz que “melhor é um prato de hortaliças onde há amor do que o boi cevado e, com ele, o ódio” (Provérbios 15:17). Se não bastasse isso, Jesus afirmou que os seus seguidores deveriam amar até os seus inimigos. (Mateus 5:43-48)
Prezado amigo, à luz destes versos bíblicos pergunto: De que maneira você tem lidado com as opiniões diferentes das suas? De que forma você tem usado o Facebook e as redes sociais? Tem sido você um propagador do ódio ou como discípulo de Cristo tem amado àqueles que lhe afrontam e desrespeitam? 
Para que fique claro, vale a pena ressaltar que não estou incentivando a mudez cibernética! Muito pelo contrário, você tem direito de expor suas opiniões e percepções, mesmo porque, pela graça de Deus vivemos num Estado democrático de direito que nos permite isso. O que combato são as agressões verbais, debochadas, escrachadas, humilhantes que denigrem pessoas demonstrando com isso que verdadeiramente não temos entendido os ensinamentos das Escrituras.
Isto posto, encerro este artigo dizendo: que o ódio ao próximo é uma marca inquestionável do estado de depravação humana. Quando odiamos pessoas demonstramos a nós mesmos quão pecadores somos e quão distantes estamos da graça de Deus.
Pense nisso!

- Renato Vargens
Guia-me.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Se Jesus voltasse hoje você subiria?