quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Ficar para “titia” lhe preocupa?

COMPARTILHE

Por medo de ficarem solteiras para o resto da vida e, principalmente, de sofrerem com o preconceito da sociedade, que impõe que para encontrar a felicidade é preciso ter um relacionamento a dois, muitas mulheres se desesperam e acabam se entregando à pessoa errada. “Isso acontece porque há quem se deixe levar pela ansiedade e, quando percebem o erro, se arrependem, só que é tarde”, comenta apresentador do programa “The Love School – A Escola do Amor” (www.iurdtv.com), bispo Emerson Carlos.

Uma maneira de evitar a solidão é procurar lembrar os motivos pelos quais os relacionamentos anteriores deram errado e na próxima relação evite-os ao máximo. “Errar é humano, mas insistir no erro não”, completa o bispo. Tenha certeza que cada pessoa e as relações são diferentes. Aprenda a maneira ideal de como agir e reverter uma situação. Evite que a pessoa amada se afaste por motivos banais e que o relacionamento esfrie. Afinal, quantas vezes perdemos a cabeça com coisas pequenas e sem pensar fazemos uma tempestade?.

“Não deixe o medo da solteirice entrar em seu coração. Vença-o, ele não pode te dominar”, alerta o bispo. De acordo com sua orientação, para não ficar só, procure investir no seu crescimento pessoal, em vez de ficar apenas olhando o tempo passar. Não ceda à pressão, pois casamento não é como trocar de roupa.

Medo de ficar só

“Existia em mim a preocupação e o medo de ficar sozinha. Na época em que eu era solteira, a pressão aumentou quando meu irmão casou e eu acabei ficando. Tudo se intensificou quando ele se tornou pai pela primeira vez e eu ainda namorava e morava na casa dos meus pais. Todos me questionavam e diziam que eu estava sendo enrolada, pois ainda não tinha me casado”, conta Camila Mascarenhas.

Segundo seu esposo, Edivaldo Mascarenhas, como ela tinha a preocupação de não ficar solteira, ela começou a ficar afoita e o relacionamento deles começou a se tornar conturbado. “Nos casamos um tempo depois, mas ela veio de uma criação totalmente diferente da minha, e ela não me entendia e nem eu a ela. Chegou um determinado momento em que ela queria sair e eu não gostava de passear, queria ficar em casa”, lembra.

Após perceber que o marido era uma pessoa fria, que não se importava com seus desejos e vontades, ela começou a se sentir triste e a chorar. “Quando comecei a perceber essas reações dela, eu tive que parar para refletir”, diz Edivaldo.

Para reverter essa situação, ele teve que dar o braço a torcer. “Devido à falta de diálogo, chegou um momento que eu tive que parar para refletir. Além disso, começamos a participar das reuniões presenciais da Terapia do Amor, sentamos e conversamos. Só assim para ter acontecido a mudança na nossa vida”, finaliza.

Terapia do Amor

Melhore a sua vida sentimental também. Todas as quintas-feiras, na Igreja Universal, acontece a Terapia do Amor. Durante os encontros, os palestrantes explicam, entre outros assuntos, que para ser feliz é necessário que algumas regras sejam estabelecidas dentro do relacionamento. Se você é solteiro, casado ou separado poderá encontrar nessas reuniões a direção ideal.

Quem mora no Rio de Janeiro pode comparecer na antiga Avenida Suburbana, 4.242, no bairro Del Castilho. Em São Paulo, na Avenida João Dias, 1.800, em Santo Amaro; na Avenida Celso Garcia, 499, no Brás ou em qualquer Cenáculo do Espírito Santo.

 Arca Universal / Portal Padom

0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?