segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

, ,

Todos os rítmos adoram a Deus?

COMPARTILHE
Considerando o real sentido da "adoração", o qual é a obediência a Deus (obedecer a Deus é, desde Adão a maior expressão de adoração - Gênesis 2.16,17) e ao propósito do mesmo ao nos criar, que é o de O louvarmos, contando Suas obras, podemos dizer que o rítimo musical não é o principal aspecto de avaliação. Ao avaliarmos se uma música é, verdadeiramente, um louvor devemos considerar um fator: a letra; isto é, se a letra (mensagem anunciada) obedece ao propósito de contar as obras de Deus e bendizer o Seu santo nome (Salmos 119.90,91; 134.1,2) e, ainda, se obedece ao propósito da pregação do evangelho da paz (a grande comissão) solicitada pelo nosso Salvador Jesus Cristo (Marcos 16.15), que é de maior urgência. Os diferentes rítimos musicais, pelo menos teoricamente, são estratégias evangelísticas para alcançar os diferentes públicos que, por sua vez, têm diferentes preferências, mas uma necessidade em comum: a de ouvir a palavra de Deus.
  Numa de suas epístolas (aos Filipenses 1.15-18), o apóstolo Paulo expressa um pensamento genuinamente evangelista: 
15- Verdade é que alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa mente;
16- uns por amor, sabendo que fui posto em defesa do evangelho;
17- mas outros, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflições às minhas prisões.
18- Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento, ou em verdade, nisto me regozijo e me regozijarei ainda.
  O nosso maior exemplo de missionário e fundador de igrejas nos diz que, é bem verdade que existem alguns    que cantam, mas não adoram a Deus, mesmo assim, a mensagem pregada é a mesma. Os diferenciais são o anunciador e seu perfil, se de adorador ou de desobediente. Mas, que importa? Contanto que o evangelho seja pregado, a salvação anunciada e a justiça apregoada. Contudo, irmãos, verdade é também que, a salvação é individual, não pense em fazer a obra do SENHOR de qualquer jeito (por mais que isso não invalide sua utilidade), pois não é o fato de você servir a Deus que te levará para o céu e sim sua integridade (2 Timóteo 1.14), a condição do seu coração e sua santificação (Hebreus 12.14), porque Deus utilizou uma jumenta para livrar Seu povo Israel (Números 22.27,28) e também uma queixada foi utilizada pelo Espírito Santo para livrar a Sansão (Juízes 15.15,16), contudo, nem a jumenta viva, nem a carcaça de um jumento foram morar no Reino de Deus, e olha que o serviram! 
PARE, PENSE, E REFLITA: SE QUER APRESENTAR A DEUS OBRAS MORTAS, SEM A GENUINIDADE DA FÉ (TIAGO 2.17). OU SE QUERES OFERECER UM SACRIFÍCIO DE LOUVOR E UM SACRIFÍCIO DO SEU EGO.
Fonte Desconhecida, Imagem da Internet


0 comentários:

Postar um comentário

FALE CONOSCO

Nome E-mail * Mensagem *

Você se sente acolhido pela congregação que faz parte?